Abdómen definido, pequenos detalhes, grandes mudanças

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Abdómen definidoNeste post vamos tratar um assunto que interessa tanto ao público feminino quanto ao masculino, o famoso abdómen definido! Nesse artigo vamos falar sobre alguns erros de treino e como os corrigir. Lembro que o objetivo do artigo é auxiliar no maior recrutamento possível de fibras musculares durante o treino, porém não ache que apenas isto será suficiente, é claro que a alimentação vai influenciar muito nos resultados.

Então vamos aos pequenos detalhes que precisamos de corrigir para poder evoluir o estímulo no nosso treino de Abdómen:

  • EXCESSO DE AMPLITUDE: Bom, no treino dos músculos as pessoas costumam pecar na falta de amplitude de movimento, é comum ver pessoas que executam meio movimento, como descer o supino até a metade, por exemplo. Já nos abdominais é o contrário. Para uma correta execução no exercício tradicional, não há necessidade de subir até tocar nos seus joelhos, o abdómen trabalha num movimento curto, tirando apenas os ombros do chão e fazendo uma contração voluntária do músculo, movimento curto e simples;
  • EXCESSO DE REPETIÇÕES: O abdómen tem como caraterística ser um músculo muito resistente, naturalmente ele precisa de mais repetições que o convencional para ser estimulado. Porém 50 ou 100 repetições é um número desnecessário e falha quando se pretende treinar o abdómen. Repetições entre 15 e 30 são suficientes para um estímulo total, porém lembre-se que para nenhum músculo há um número exato, afinal os músculos não sabem contar, treine até à falha;
  • FALTA DE SOBRECARGA: Você faz rosca direta ou supino reto? Então por que não colocar peso ao executar abdominais? Dicas simples, use peso adicional. Também não adianta colocar uma disco gigante no peito, nessa região não fará diferença nenhuma. Segure um disco sobre a sua cabeça e execute os movimentos;
  • INTERVALOS LONGOS: Terminou a série? De 15 a 30 segundos de descanso é o suficiente para executar uma próxima série, o Abdómen tem uma recuperação rápida, nada de deixá-lo descansar, destrua-o;
  • EXCESSO OU FALTA DE TREINO: É comum ver pessoas desesperadas a treinar abdominais todos os dias, porém como outro músculo qualquer ele precisa de tempo para recuperação e consequente hipertrofia, treinar todos os dias acaba com esse processo e gera o catabolismo muscular. Em contrapartida o abdómen tem essa capacidade de rápida recuperação, então treinar 1 ou 2 vezes por semana também é pouco. Então qual o segredo? Para cada dia de treino, um dia de descanso. O conhecido dia sim, dia não;
  • DIVISÃO INCORRETA: Esta história de dividir o treino em supra, infra e oblíquos é equivoca. Você pode focar-se em determinada região dependendo de qual e como executa o exercício, porém de forma nenhuma você irá isolar uma musculatura e deixar a outra em descanso total. Então a dica é treinar o abdómen como um todo;
  • NO PAIN NO GAIN: Considera-se um herói porque não conta repetições e treina até sentir dor. Ok, mas você ainda não está a treinar a serio. Treinar até sentir dor é tão mau quanto contar repetições exatas, a dor é apenas um aviso de que o treino começou, como qualquer outro músculo você deve treinar até à falha e acabou, não tem troques nem segredos;
  • RESPIRAÇÃO INCORRETA: Ao realizar abdominais é essencial o bom uso da respiração para maior estímulo dos músculos dessa região. A dica é simples, na fase positiva do movimento, quando há a contração muscular, solte todo o ar dos seus pulmões com força e velocidade, já a fase negativa você deve fazer de forma lenta, tanto em relação ao movimento quanto há inspiração, então puxe o ar de forma lenta e profunda. Cuide da respiração de forma perfeita, verá como chega à falha muscular muito antes que de costume.

E não se esqueça: Leve a sério a sua rotina de treino e dieta!

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.