Tratamento para a urticária crónica

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

urticaria cronica

A urticária crónica é uma doença dermatológica que se apresenta com manchas ou inchaço na pele de tamanho variável e acompanhadas por urticária devido à libertação principalmente de histamina, uma substância produzida por células conhecidas como mastócitos. Os sintomas podem durar mais de 6 semanas e muitas vezes a urticária é de tal forma insuportável ao ponto de poder criar problemas de sono, fadiga, irritabilidade, stress, ansiedade e até mesmo depressão.

As manifestações podem aparecer durante algumas horas numa determinada área, para logo desaparecerem e voltarem a surgir noutra zona diferente do corpo. São imprevisíveis e muito incómodas. Os estudos permitiram constatar que aproximadamente metade dos casos de urticária crónica têm origem auto-imune, ou seja, é o nosso próprio organismo que detecta a presença de um certo tipo de anticorpos e que produz uma estimulação crónica dos citados mastócitos. Apesar disso, ainda existe uma percentagem bastante elevada de causas desconhecidas na sua origem.

A má notícia é que não existe nenhuma cura definitiva para a urticária crónica. Este é um problema de saúde que pode durar toda a vida em certos casos. Não obstante, a boa notícia é que existem várias opções de tratamento que (em função do curso e dos sintomas da doença) podem manter os sintomas sob controlo.

É importante destacar que nenhum tratamento funciona de igual forma para todos e que a forma como um paciente responde a um tratamento em concreto pode mudar ao longo do tempo. Qualquer paciente que sinta não ter devidamente controlada a sua urticária deve pedir ao seu médico para tentarem encontrar juntos uma solução para este problema. Apesar de não haver nenhuma solução definitiva para a urticária crónica, é importante encontrar e aplicar um tratamento que permita ao paciente levar uma vida normal.

 

Actualmente existem várias alternativas terapêuticas para os pacientes com urticária crónica:

  • O principal tratamento da urticária é descobrir e afastar a causa tanto quando possível. Deve ser evitado o calor, bebidas alcoólicas e stress que são factores que pioram a irritação.
  • Anti-histamínicos H1 de segunda geração: medicamentos que diminuem a urticária e o inchaço produzidos pela urticária na pele. Efeito secundário: produzem sonolência.
  • Activadores dos receptores de glucocorticóides: fármacos cuja capacidade principal em relação à urticária é a sua actividade anti-inflamatória. Os pacientes precisam de ter um seguimento especial para controlar possíveis efeitos não desejados.
  • Bloqueadores de Imunoglobulina E (IgE).
  • A dieta alimentar sem corantes, conservantes, embutidos (frios, salsicha etc.), enlatados, peixe e frutos do mar, chocolate, ovo, refrigerantes e sumos artificiais, costuma ajudar a melhorar mais rápido, evitando o reaparecimento das lesões durante o tratamento.
  • Medicação do tipo antialérgico é indicada como primeira opção para o tratamento da urticária. Outras medicações como corticosteróides e imunossupressores também podem ser utilizados, de acordo com a avaliação médica.

tratamento urticária crónica

Considerações finais sobre a urticária crónica

Casos graves de angioedema ou anafilaxia devem ser levados ao serviço de emergência.

O tratamento deve sempre ser indicado pelo médico dermatologista após um estudo detalhado de cada caso. A automedicação pode prejudicar bastante o tratamento e o controle da urticária.

Mesmo quando não é possível encontrar a causa da urticária, esta pode ser controlada em mais de metade dos casos num período entre seis meses a um ano. Em cinco anos, cerca de 90% dos pacientes estão sem a doença.

A melhor forma de evitar a urticária é afastar-se de causas conhecidas de alergia.

loading...

Deixe o seu comentário


SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...