Stress – o inimigo número 1 das mulheres

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Para a população feminina entre 18 a 29 anos, o stress é o pior problema a ser enfrentado, como conclui uma pesquisa realizada pela Society for Women’s Health, de Washington, Estados Unidos. A grande causa da pressão é para conseguir chegar aos 30 anos com uma carreira consolidada, uma casa e um relacionamento estável. Mas as entrevistadas apontam outros factores também, como: dinheiro (63%), ganhar peso (59%) e estudos (27%).
No Brasil, outra pesquisa coordenada pelo International Stress Managment Association (Isma), organização dedicada ao estudo do stress, revelou números não menos assustadores: 70% dos brasileiros economicamente activos sofrem com o stress; destes, 78% têm sintomas físicos associados, como dor muscular, e 70% reclamam de falta de concentração e distúrbios de libido (29%). Ou seja, tentar fugir desse stress deve ser uma das metas da nossa vida.
O primeiro passo para espantar as causas é se empenhar em construir um estilo de vida saudável: dormir o número de horas suficientes para recompor as energias e manter uma alimentação equilibrada, além de praticar exercícios físicos e separar um momento do dia para relaxar. O bom sono revigora, a alimentação saudável fortalece o organismo, a ginástica libera uma hormona chamada beta endorfina, que produz sensação de bem estar, e o relaxamento reduz a tensão física e mental. Além destes procedimentos básicos para o aumento da qualidade de vida, também é preciso refletir sobre o problema.
Três palavras resumem o controle do stress: consciencialização, flexibilidade e criatividade. Primeiro, deve-se pensar no stress e identificar suas causas. Veja se ele não é produzido por você. Lembre de como você encara as situações, os problemas e os desafios. A partir daí, estabeleça seus próprios limites e aprenda a respeitá-los. Então, reconheça as demandas à sua volta e estabeleça prioridades. Por fim, esteja preparada para se aceitar as mudanças, criando alternativas próprias para adaptar suas necessidades às do meio onde vive.
loading...

Deixe o seu comentário


SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close