Rica Saude

Probióticos: defensores do nosso corpo

Um micróbio bom parece uma contradição. Quando falamos sobre micróbios, pensamos quase sempre em “bichos” maus que não podemos ver e que vêm nos prejudicar. Queremos eliminá-los todos! Não toquem em mim ou na minha família! No entanto, nem todos os micróbios são maus. Existe uma variedade de bactérias, fungos e leveduras que vivem dentro de nós e que nos mantêm saudáveis. Esses microrganismos são de grande benefício para muitas funções do nosso corpo. Um exemplo disso são o que chamamos de probióticos.
Definimos probióticos como bactérias benéficas para o corpo humano que são ingeridas em alimentos ou em fontes concentradas (cápsulas, pó ou líquido). Estes colonizam ou vivem no intestino. Se o intestino tiver uma grande quantidade de micróbios bons, quaisquer micróbios patogênicos ou nocivos terão mais dificuldade de aderir à mucosa intestinal, causando algum tipo de doença. Quando tomamos um antibiótico por ordem médica, ele mata grande parte das bactérias ruins e, com elas, as boas também morrem. Por esse motivo, pode ser útil tomar probióticos para restaurar a flora intestinal o mais rápidamente possível durante e após a antibioticoterapia.
Os probióticos cumprem outras funções específicas, além de nos defender contra organismos patogênicos. Isso inclui o controle da multiplicação das células que revestem o intestino e a participação nos processos de metabolismo das vitaminas.

Funções com as quais os probióticos estão relacionados

Uma grande variedade de alimentos contém probióticos, principalmente fermentados ou salmoura (uma combinação de água, sal e/ou vinagre para conservar os alimentos). Um exemplo conhecido de alimento fermentado é o iogurte. Para que você receba o benefício dos probióticos, eles devem estar vivos. Nem todos os iogurtes contêm bactérias vivas. Muitos deles são identificados destacando seu conteúdo específico. Outros alimentos fermentados são o repolho azedo ou o chucrute. O repolho azedo comercial não contém probióticos ativos, pois é aquecido para embalá-lo e isso mata todas as bactérias. O kombuchá é uma bebida nativa da Rússia, muito na moda, e que está à venda em alguns supermercados e lojas de produtos naturais. Muitos alimentos asiáticos como miso, tempeh e kimchi também são ricos em probióticos, mas são um pouco mais difíceis de encontrar. A bebida típica conhecida como mavi também é uma boa fonte de probióticos. Outros alimentos que não os contêm por natureza e são adicionados a eles são considerados alimentos funcionais. Um exemplo disso é a barra de chocolate com probióticos.
Se você decidir complementar sua dieta com probióticos em cápsulas, pó ou líquido, procure aquele que lhe oferece a maior variedade e quantidade de colônias. O número de bactérias é atualmente medido em milhões ou bilhões. Quanto maior o número, mais bactérias serão. As classes de probióticos mais comuns são lactobacillus e os bifidobacterium. Quanto mais nomes tiver o suplemento, maior será a variedade. Em farmácias e lojas de alimentos naturais, você encontrará uma grande variedade deles. O fato do produto ser caro não garante que seja o melhor para você. Alguns precisam de refrigeração, especialmente os líquidos. As formulações em pó são ideais para uso em crianças. As cápsulas podem ser usadas com todas as refeições ou na maior refeição do dia.
Com o uso de probióticos, é importante adicionar prebióticos. São fibras que alimentam as bactérias boas. Sem eles, a vida da flora intestinal benigna seria afetada. Uma dieta que consista principalmente de carnes, como a dieta cetônica ou amidos refinados, mata ou não permite que os probióticos se multipliquem no seu intestino. Evite essas dietas pouco saudáveis. Adicione uma boa quantidade de alimentos vegetais, frutas, sementes, feijão, folhas verdes e cereais integrais de todos os tipos que ajudam a manter uma flora intestinal saudável.
Exit mobile version