diuréticos

Os Diferentes Tipos de Diuréticos

Nem todos os diuréticos são iguais, existem muitos tipos de substâncias diuréticas e, se quisermos nos beneficiar de suas virtudes sem correr o risco de efeitos colaterais adversos, como a desidratação e a queda da tensão, é conveniente conhecer sua tipologia.
diuréticos

Diuréticos naturais

Devido à proliferação de dietas naturopáticas para melhorar a aparência da pele e reduzir o peso, as pessoas estão começando a familiarizar-se com a existência de certos diuréticos de origem natural.
É importante lembrar que estes podem ser consumidos diretamente de sua fonte orgânica ou optar por algum tipo de concentrado em forma de comprimido ou essência.

Alimentos diuréticos

Muitas vezes não estamos cientes de que consumimos alimentos que têm um grande efeito diurético. Café, melão, melancia, laranja ou espargos são alguns exemplos desse tipo de alimento – sempre de origem vegetal – que possuem propriedades diuréticas.
A sua inclusão na dieta alimentar é uma excelente forma de purificar o nosso organismo, favorecendo a eliminação das toxinas através do aumento da urina.

Ervas diuréticas

Talvez a erva diurética mais conhecida seja a cavalinha, que quando consumida como uma infusão tem excelentes efeitos diuréticos. No entanto, existem muitas outras alternativas, como zimbro, dente de leão ou até salsa. Desta forma, podemos verificar que as ervas diuréticas não são domínio exclusivo das infusões, mas também podem ser utilizadas nas refeições.

Álcool

A inibição do hormônio antidiurético (ADH) argipressina é um dos efeitos mais notáveis do consumo de álcool, por isso é tecnicamente considerado um diurético natural.
No entanto, e por razões óbvias, o seu uso terapêutico é totalmente contra-indicado, não só pela enorme ingestão calórica sem base nutricional do álcool, mas pelas terríveis consequências que o seu abuso tem no nosso organismo.

Diuréticos farmacológicos

Como já expressamos quando explicamos em que consistem os diuréticos, o uso de medicamentos para eliminação de líquidos deve ser sempre feito sob prescrição médica, pois seus efeitos são muito mais potentes que os dos diuréticos naturais e, além disso, têm efeitos adversos perigosos para a saúde. Deve-se observar que existem muitos tipos de diuréticos medicamentosos que atuam de maneira diferente. Neste caso, vamos nos limitar aos dois mais importantes para destacar a importância de diferenciar as aplicações práticas em relação aos diuréticos naturais.

Diuréticos inibidores da anidrase carbônica

O uso desse tipo de diurético visa inibir a reabsorção do bicarbonato de sódio nos túbulos proximais, que fazem parte do rim, órgão responsável por filtrar todo o sangue que passa pelo nosso corpo.
De acordo com as necessidades do nosso corpo, certos minerais são reabsorvidos pelo rim.

Diuréticos poupadores de potássio

Este tipo de diurético é prescrito principalmente para reduzir a pressão arterial e quase sempre como um reforço para outros diuréticos. Se fossem usados isoladamente, gerariam um aumento nos níveis de potássio, colocando em risco a saúde do paciente.

Diuréticos na indústria de alimentos

Muitos dos produtos leves ou sem açúcar vendidos em supermercados usam o manitol como adoçante substituto. Na medicina, é usado como um diurético osmótico para prevenir edema cerebral, reduzir a pressão intraocular ou tratar a síndrome do desequilíbrio.
Deve-se levar em conta que possui efeitos diuréticos e laxantes, de modo que abusar de certos alimentos light ou chicletes sem açúcar pode nos trazer algumas surpresas inesperadas.
Você conhecia os diferentes tipos de diuréticos? Você sabia que eles são usados na indústria de alimentos como adoçantes?
3

Sem comentários

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.