O que não sabia sobre a stevia

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

stevia

Muitos usam-na nas suas bebidas e refeições todos os dias, mas serão muito poucos os que sabem o que é a stevia, de onde vem e quais são as suas qualidades.

Segundo a Universidade de Nova Iorque o uso deste adoçante natural é seguro até mesmo para quem tem diabetes.

As propriedades açucaradas provêm de glicosídeos de steviol, extraídos das folhas da planta (Stevia rebaudiana Bertoni). Trata-se de um edulcorante de origem natural com 40 a 300 vezes o poder adoçante da sacarose, não sintético, ao contrário do ácido clicâmico, o aspartame ou a sacarina.

Até prova em contrário, os glicosídeos de esteviol são seguros, o que não significa que possam ser utilizados indiscriminadamente. A Dose Diária Admissível (DDA) foi fixada pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos em 4 mg/kg de peso corporal.

A stevia é usada há imenso tempo em muitas comunidades da América do Sul para adoçar certos pratos e bebidas. Também os japoneses a usam há muito tempo em bebidas, doces e até mesmo molhos.

O seu uso é seguro pois não tem efeitos secundários e não ajuda ao surgimento de qualquer doença cardiovascular. É uma excelente ajuda para as pessoas com problemas de obesidade ou de excesso de peso porque permite saciar a ansiedade pelos doces. É uma excelente ferramenta que pode ser usada por todos quantos desejam perder peso.

No entanto, há que ter algum cuidado com a stevia em pacotes porque descobriu-se que existem muitas empresas que a misturam com outros tipos de açúcares, o que elimina por completo o efeito saudável da planta. Em vez de a comprar já processada, pode extrai-la naturalmente tal como se estivesse a preparar um chá. Deixe as folhas secas de molho e irá obter os compostos que poderão ajudar a adoçar qualquer bebida ou comida.

Se optar por comprar as stevia já processada, deve ter atenção ao seu índice glicémico. Deve ser baixo, pois se for alto o mais provável é que tenha sido adicionado açúcar com altos índices glicémicos.

Uma alternativa ao açúcar, que não prejudica os dentes e quase não contém calorias? É tentador, até porque os glicosídeos de esteviol podem ser uma oportunidade para virar em definitivo as costas a alguns edulcorantes, injustamente mal vistos.

Mas é aconselhável evitar a acumulação de vários tipos de edulcorantes no organismo. O melhor será mesmo limitar o seu consumo, também para não criar habituação ao gosto adocicado. Além disso, um produto não é mais saudável por ser adocicado por intermédio de aditivos. Numa alimentação sã e equilibrada, é preferível comer, de vez em quando, um produto com açúcar do que consumir com muita frequência produtos com edulcorantes.

Deixe o seu comentário


Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close