alho

O alho faz bem ao coração

alhoÉ isso mesmo. O alho tem imensos benefícios e propriedades para o motor do corpo, ou seja, o coração.

Conhece algumas destas propriedades? Quer saber porque deve sempre ter na sua dispensa este ingrediente quase milagroso? De seguida vamos revelar algumas das curiosidades sobre os muitos benefícios do alho na nossa dieta.

 

Para prevenir doenças

Antes de mais, vamos responder à seguinte pergunta: porque é tão bom o alho para o coração? Segundo numerosos estudos, o alho cru é um poderoso remédio para prevenir os problemas cardíacos, reduzir o colesterol e controlar a hipertensão.

Alguns dos componentes presentes na composição dos alhos actuam como anticoagulantes naturais, ajudando a manter a pressão arterial e favorecendo a circulação sanguínea. Por outras palavras, o alho é muito saudável para o bom funcionamento do coração.

alho faz bem ao coração

Muitos nutrientes e vitaminas

E todos os seus benefícios são devidos aos nutrientes existentes na sua composição, entre os quais temos ferro, potássio, cobre, magnésio, zinco, vitaminas A, B e C, e ainda cálcio. Um alimento que protege o coração de muitas doenças, graças ao seu poderoso efeito diurético, anti-inflamatório, anti-hipertensivo e anticancerígeno, que também aumenta as defesas do corpo.

Como podemos ver, temos muitos e bons motivos para ter na dispensa este ingrediente. Uma planta herbácea que os especialistas em nutrição recomendam que seja consumido preferencialmente cru.

 

A opinião dos especialistas em relação ao alho

Os investigadores da Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, descobriram a chave do mistério. O segredo dos benefícios do alho encontra-se na alicina, que se converte nuns compostos de sulfureto, que depois reagem com os glóbulos vermelhos do sangue e ajudam a relaxar os vasos sanguíneos, permitindo que o sangue flua mais facilmente.

E um bom exemplo dos muitos benefícios deste milagroso ingrediente está nos países que usam o alho como parte importante da alimentação das suas populações, como por exemplo os países na região do Mediterrâneo, onde os números relacionados com as doenças cardiovasculares são muito menores.

3 Comentários

  1. Jorge
    Março 31, 2017
  2. Maria das graças souza crescencio
    Julho 16, 2015
    • Paulo Rosa
      Julho 17, 2015

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.