Ibuprofeno: o que é, para que serve, efeitos secundários e como tomar

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

IbuprofenoO ibuprofeno é um dos anti-inflamatórios mais populares e consumidos em todo o mundo. Mas será que sabe realmente para que serve e quando o deve tomar? Conheça aqui toda a informação: quando é útil, qual a dose certa e quais os efeitos secundários do ibuprofeno.

 

O que é o ibuprofeno?

O ibuprofeno é um medicamento anti-inflamatório não esteróide capaz de actuar sobre as prostaglandinas, o que significa que reduz o processo inflamatório e alivia a dor. Não obstante, apesar de ser bastante consumido, a longo prazo pode causar problemas digestivos e hormonais nos homens.

Há já muitos anos que é um dos medicamentos anti-inflamatórios mais consumidos pela população, principalmente devido ao seu preço económico e ao fácil acesso.

No entanto, como qualquer outro medicamento, o seu consumo deve ser prescrito por um médico após ter sido diagnosticado o problema, uma vez que a automedicação pode ter consequências bastante sérias para a nossa saúde.

Pode ser encontrado habitualmente sob a forma de comprimidos, embora também seja possível de encontrar na farmácia na forma de xarope.

 

Para que serve o ibuprofeno?

Como referimos anteriormente, o ibuprofeno é um medicamento pertencente ao grupo dos medicamentos conhecidos como anti-inflamatórios não esteróides, sendo normalmente usado para o tratamento da dor e da inflamação. Para além disso, ainda actua como antipirético.

 

Quando deve tomar ibuprofeno? Em que casos e como o deve tomar?

O ibuprofeno é um medicamento anti-inflamatório não esteróide, o que significa que do ponto de vista médico é utilizado para o tratamento tanto da dor, como da inflamação, para além de ajudar a baixar a febre.

Portanto, o ibuprofeno é especialmente útil nos seguintes casos:

  • Acalmar a dor: Actua como analgésico. Ideal em caso de dor de cabeça, enxaquecas, pancadas, dor de dentes e dor de costas ou lombar.
  • Reduz a inflamação: Por ser um anti-inflamatório, é útil, por exemplo, em caso de inflamações causadas por artroses, artrites e lesões (sejam desportivas ou não).
  • Baixar a febre: Também actua como um antipirético, de forma que é útil para baixar a febre.

Em relação à dose correcta de ibuprofeno, dado que o encontramos em doses de 400mg e 600mg, é evidente que devemos seguir sempre as indicações dadas pelo médico.

Desta forma, muitos especialistas referem que para aliviar a dor leve e moderada, deve-se optar pela dosagem de 400mg de ibuprofeno, deixando a dosagem de 600mg apenas para os casos excepcionais (e sempre que tenha sido prescrito pelo médico).

Para além disso, o normal é consumir um comprimido de ibuprofeno a cada 8 horas.

 

Efeitos secundários do ibuprofeno

O consumo excessivo deste medicamento durante longos períodos de tempo pode causar problemas gástricos, que vão desde as diarreias às náuseas, passando por vómitos e úlceras gástricas ou duodenais.

Por outro lado, sabe-se que em doses elevadas o seu consumo pode provocar problemas do sistema nervoso, tales como dores de cabeça, de forma que se escolher este medicamento para o tratamento, o resultado poderá ser o oposto: longe de aliviar, pode mesmo até piorar  a dor.

Alguns estudos científicos alertam igualmente para um maior risco de sofrer um enfarte quando se abusa deste tipo de fármacos. Neste sentido, os especialistas referem que é pouco aconselhável tomar este tipo de medicamentos durante mais de 10 dias por mês.

 

Consequências do consumo excessivo de ibuprofeno

Embora o consumo a curto prazo ou pontual de ibuprofeno (sempre que tenha sido prescrito pelo médico) não representa qualquer risco para a saúde, mas quando consumido durante períodos longos ou em excesso poderá ter consequências negativas ou nocivas para a saúde.

Por exemplo, tanto os anti-inflamatórios não esteróides em geral, como o ibuprofeno em particular, irritam o sistema digestivo, sobretudo o estômago.

Por este motivo, é bastante habitual que após um consumo prolongado deste tipo de medicamento tenha como consequência principal o aparecimento de uma gastrite. Ou em casos mais graves, de uma úlcera do duodeno ou do estômago. Não nos esqueçamos ainda que os anti-inflamatórios reduzem a coagulação sanguínea, estando contra-indicados nas pessoas que tomem anticoagulantes orais.

 

Riscos cardiovasculares do ibuprofeno em doses elevadas

Há alguns anos que o Comité de Avaliação do Risco em Farmacovigilância da Agência Europeia do Medicamento (PRAC) iniciou uma revisão para avaliar os riscos cardiovasculares do consumo de ibuprofeno em doses elevadas. É ainda de referir que se fez apenas uma revisão do ibuprofeno consumido por via oral, não contando os fármacos tópicos (como géis ou cremes). Segundo a Agência Europeia do Medicamentos (EMA), foram avaliados os riscos cardiovasculares do consumo de ibuprofeno em doses elevadas; ou seja, 2.400 mg. por dia e tomado com regularidade durante longos períodos de tempo.

Segundo lembra a EMA, o ibuprofeno costuma ser tomado na maioria das vezes em doses muito mais baixas e por períodos curtos de tempo, de forma que não existe indicação de risco cardiovascular no uso habitual deste medicamento. Com efeito, trata-se de um dos medicamentos mais comuns utilizados tanto contra a dor, como contra a inflamação, apresentando um perfil de segurança se for utilizado nas doses recomendadas.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.