Faringite: Sintomas, Causas e Tratamento

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

FaringiteA inflamação da mucosa que cobre a faringe é o que se designa por faringite. É uma infecção muito comum que provoca incómodos, dores ou rouquidão na garganta dificultando, em muitos casos, a acção de engolir os alimentos e líquidos. Pode-se diferenciar entre faringite aguda, que é causada por vírus ou bactérias, e a forma mais comum, a faringite crónica, da qual se padece de forma prolongada e é devida a determinados agentes externos irritantes ou substâncias prejudiciais.

Para compreender as causas, sintomas e tratamento da faringite, preparamos este guia com toda a informação necessária.

 

Faringite causas

A faringite é uma doença que pode ter diversas causas. E, com base no factor ou factores que a desencadeiam, podemos distinguir entre faringite aguda e faringite crónica.

faringite agudaFaringite aguda

As faringites agudas são causadas por processos infecciosos provocados por vírus ou bactérias, pelo que podem ser altamente contagiosas. Entre 80 a 90% dos casos, os vírus são os principais responsáveis por esta infecção, sendo os que causam o resfriado ou catarro comum e a gripe os mais frequentes. Desta forma, a faringite é também um sintoma próprio de outras infecções virais tais como a mononucleose infecciosa, a herpangina (presença de úlceras e chagas dentro da boca), ou o herpes.

Em relação às bactérias, temos os estreptococos do grupo A que causam a amigdalite estreptocócica, e outras como a gonorreia ou a clamídia que são menos frequentes. Estas não costumam provocar faringite aguda por si mesmas, mas devido à presença de bactérias, podem levar à inflamação aguda da faringe.

 

Faringite crónica

A faringite crónica, ou seja, aquela em que a infecção permanece várias semanas ou de forma prolongada no tempo, é causada pelo contacto continuo com substâncias ou condições que podem irritar a mucosa da faringe. Estas podem ser a secura ambiental, o calor ou o frio excessivo, agentes alérgenos ou agentes irritantes como o tabaco, o pó, o fumo, ou álcool, etc. Também pode ser causada por uma inadequada respiração pela boca ou transtornos hormonais.

faringite crónica

Faringite sintomas

O principal sintoma da faringite é a dor de garganta, mas em função das causas, pode apresentar outros sintomas.

Quando se padece de faringite aguda, podem-se observar os seguintes sintomas:

  • Dor ou comichão na garganta que pode piorar ao falar ou engolir os alimentos.
  • Vermelhidão da faringe.
  • Placas de exsudato esbranquiçado nas amígdalas ou na faringe.
  • Dificuldade para engolir com normalidade.
  • Garganta seca.
  • Gânglios linfáticos do pescoço inflamados.
  • Voz rouca.
  • Febre ou arrepios.
  • Dores de cabeça.
  • Mal-estar geral.

No caso de faringite crónica, há uma dor de garganta e outros sintomas, tais como:

  • Sensação generalizada de sede.
  • Tosse contínua.
  • Sensação da presença de algo estranho na garganta.
  • Tosse irritante.
  • Expectoração com mucosidade viscosa.
  • Em consequência da sede e da mucosidade, pode haver alterações no sono e uma sensação de afogo.

 

Tratamento da faringite aguda

O tratamento depende de cada caso em particular. Na maioria dos casos, a faringite aguda é causada por vírus, pelo que não são receitados antibióticos, mas medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para reduzir as dores e a inflamação, assim como mucolíticos (caso necessário) para diminuir a viscosidade do muco faríngeo e/ou antipiréticos para baixar a febre. Todos os fármacos devem ser devidamente prescritos por um médico e devem ser seguidas as suas indicações em relação à dosagem e duração do tratamento.

Apenas será receitado um tratamento antibiótico quando existir uma infecção bacteriana, uma infecção viral mais complicada ou uma complicação de algum tipo de infecção faríngeo-amigdalar. De uma forma geral serão prescritos antibióticos pertencentes à família da penicilina.

Para além dos tratamentos médicos, as seguintes recomendações também podem ajudar a reduzir os incómodos na garganta e melhorar o bem-estar do paciente:

  • Manter uma boa hidratação bebendo água abundante e líquidos suaves. Recomendam-se os líquidos mornos, como por exemplo uma infusão de mel e limão, de tomilho ou de sálvia; ou então líquidos frios para reduzir a inflamação.
  • Gargarejar água morna com sal duas ou três vezes ao dia. Será suficiente juntar meia colher pequena de sal num copo de água morna.
  • Repousar.
  • Usar humidificadores ou vaporizadores para manter a humidade e evitar a sequidão da garganta.
  • Chupar pastilhas ou rebuçados duros (de venda nas farmácias) para aliviar a dor de garganta.

Se passados vários dias e depois do tratamento os sintomas não desaparecerem, então é importante consultar rapidamente o médico, bem como no caso de apresentar febre elevada, inflamação dos gânglios linfáticos no pescoço ou algum tipo de erupção cutânea ou lesões na pele.

faringite tratamento

Tratamento da faringite crónica

O tratamento da faringite crónica deve concentrar-se em evitar os agentes irritantes ou as condições que dão origem às dores de garganta e à inflamação. É por isso que se pode recomendar, por exemplo, não frequentar ambientes secos, com fumo, pó, ares condicionados ou aquecimento muito elevado.

Se a causa está no tabagismo ou no alcoolismo, então é fundamental que o paciente inicie um tratamento ou terapia específica para perder estes maus hábitos.

Para minimizar os sintomas da faringite crónica, são boas opções todos os tratamentos que ajudam a manter a faringe e as vias respiratórias livres. Estes podem ser desde soluções salinas, anti-mucolíticos ou pastilhas para chupar, até ao uso de humidificadores. Apenas quando a faringite prolongada é consequência de uma obstrução nasal, poderá ser necessária uma cirurgia para acabar com o problema.

 

Este artigo é meramente informativo. Não temos competência para receitar tratamentos médicos ou para fazer qualquer tipo de diagnóstico. Convidamo-lo a recorrer a um médico se tiver qualquer problema de saúde ou mal-estar.

Deixe o seu comentário


Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.