Como o trabalho precário afecta a nossa saúde

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

saúdeA precariedade laboral não afecta apenas o nosso bolso, mas também as nossas emoções e saúde mental.

Embora não reste qualquer dúvida sobre este assunto, um estudo recente realizado pela Universidade Nacional da Austrália (ANU) confirma o que já todos sabíamos. Os trabalhadores precários têm maiores probabilidades de vir a sofrer de ansiedade e de depressão.

 

Cada pessoa é um caso

A precariedade laboral é uma realidade cada vez mais comum e pode estar disfarçada sob muitas formas, mas os resultados são quase sempre os mesmos, embora as consequências psicológicas não sejam iguais para todos os trabalhadores.

O estudo realizado pela Universidade Nacional da Austrália e publicado pela revista especializada Psychological Medicine relaciona a má saúde mental com a precariedade laboral e o desemprego.

trabalho precário

O apoio da família e dos amigos

Com efeito, alguns investigadores afirmam que as consequências psicológicas de um trabalho precário podem mesmo ser piores do que o próprio desemprego. Tudo depende, naturalmente, da personalidade e do carácter de cada um.

 

Insegurança e incerteza

A insegurança e a incerteza são alguns dos sentimentos mais frequentes nas pessoas que estão nesta situação. Sentimentos que se transformam em ansiedade, falta de auto-estima e depressão. Problemas emocionais que afectam a qualidade de vida.

 

Ajuda especializada

Enfrentar este tipo de situação nem sempre é fácil, e depende muito de cada um de nós. Neste sentido, o apoio da família e dos amigos é um factor crucial, embora por vezes não seja suficiente, e será então necessário recorrer à ajuda de algum profissional que possa ajudar a lidar com todas as emoções envolvidas.

Actualmente, a precariedade laboral é praticamente uma epidemia que continuar a expandir-se demasiado rápido e que afecta pessoas de qualquer classe social, e profissionais de todas as idades. O que se pode fazer é começar por reconhecer a existência deste problema, tratando e enfrentando a situação para que não nos devore por dentro.

loading...

Deixe o seu comentário


SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close