Como medir o balanço energético

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

balanço energeticoPara se conseguir uma dieta equilibrada e evitar ganhar peso, é muito importante não só saber a quantidade de calorias ingeridas, como também a quantidade de energia que se gasta ao longo do dia. Para se conhecer mais detalhadamente estes cálculos, as novas tecnologias do estudo ANIBES oferecem dados mais precisos nas pesquisas realizadas sobre o balanço energético, segundo os especialistas reunidos no simpósio “Balanço energético, o caminho da saúde pública “.

Durante esta sessão, foi dado muito enfâse ao facto de se deve dispor tanto da informação da ingestão energética como da actividade física realizada, para que se possa conhecer o balanço energético e actuar em conformidade de acordo com cada caso.

Até à data os estudos basearam-se em pesquisar dietéticas que não ofereciam dados precisos para se tirar conclusões mais concretas. O método de estudo não é o mais adequado porque as pessoas quando são questionadas tendem a desvalorizar a ingestão e a sobrevalorizar o gasto energético, o que tem impacto sobretudo nos estratos da população onde o controlo do balanço energético é mais necessário.

 

Porque é importante o balanço energético?

Ao se conhecer mais pormenorizadamente o balanço energético, podemos actuar melhor na prevenção da obesidade, a qual afecta um grande número de pessoas. Este controlo é baseado simplesmente na moderação da energia ingerida através dos alimentos e das bebidas, e no aumento da energia gasta com a actividade física, mantendo nos mesmos níveis as funções vitais e os nutrientes dos alimentos.

O peso corporal é mantido caso a ingestão de energia seja igual ao gasto, ou seja, quando nos encontramos em equilíbrio energético. O peso corporal varia apenas quando o gasto é desigual à ingestão durante períodos relativamente longos de tempo. Por outro lado, quando existe uma ingestão mínima de energia, muitas vezes o mais adequado é aumentar o gasto energético e não continuar a reduzir apenas a ingestão de alimentos, pois isso poderá vir a conduzir a uma carência de nutrientes essenciais ao organismo.

Por conseguinte, a energia obtida através da ingestão de alimentos em forma de nutrientes (proteínas, gorduras ou hidratos de carbono) e também de bebidas (açucaradas ou alcoólicas), é gasta fazendo desporto ou realizando movimentos que necessitem de um determinado nível de esforço através da actividade física. Também gastamos energia quando não estamos a fazer nada, o que é conhecido como metabolismo basal ou taxa metabólica basal, e pelo efeito térmico dos alimentos.

Tendo em conta tudo o que referimos, o conhecimento detalhado dos componentes do balanço energético e dos factores que o influenciam, pode ajudar a combater tanto o excesso de peso como a obesidade.

loading...

Deixe o seu comentário


SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...