Cinco conselhos para fazer uma alimentação saudável no Natal

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

alimentação saudável no NatalPara muitos, a época de Natal é sinónimo de muita comida. De um dia para o outro as pessoas esquecem a dieta, a comida saudável e despertam com um apetite voraz que começam a lamentar logo no início do ano.

No entanto não são apenas os quilos a mais. Comer “à bruta” também pode ser um problema para qualquer um, especialmente nos casos em que pode haver alguma indigestão ou qualquer outro problema de estômago que o impeça de aproveitar ao máximo esta época festiva.

É por isso que o doutor István Mármarosi, gastroenterologista da Oxygen Medical, nos oferece alguns conselhos úteis para resistir a sedução dos mais requintados pratos da gastronomia de Natal. Se quer saber mais, preste então atenção à seguinte lista:

  1. Não coma enquanto vê televisão porque estará mais propenso a ingerir maiores quantidades de alimentos do que aquilo que o seu corpo realmente precisa.
  2. Observe os sinais do seu corpo: se tem simplesmente ansiedade, o melhor é sentar-se longe da mesa. O cérebro precisa de pelo menos 15 minutos para processar a sensação de saciedade, pelo que se esperar um pouco depois de comer, provavelmente não irá ter vontade de comer mais nada.
  3. Tenha um cuidado especial com os aperitivos antes da ceia de Natal, já que são normalmente uma bomba de calorias. Para evitar acumular quilos a mais e encher-se de doces que não precisa, escolha de forma consciente o que vai comer.
  4. É conveniente que os pratos tenham porções equilibradas, que sejam acompanhados de salada e verdura, e deve ainda evitar repetir. As verduras cruas são ricas em enzimas e facilitam a digestão.
  5. Consuma alimentos com gordura insaturada de origem vegetal, como por exemplo azeite, frutos secos ou peixe. E já agora consuma com moderação os alimentos que têm gorduras saturadas, como por exemplo enchidos, queijos gordos e manteiga, de forma a que não superem 7% do conteúdo calórico total.

Se não houver qualquer contra-indicação médica, pode-se comer de tudo desde que haja moderação. É recomendável prestar atenção às crianças e aos idosos. No caso das crianças, deve-se controlar a ingestão de açúcar e racionar-se os doces que podem provocar indigestão. E no caso dos idosos é também muito importante não descuidar a hidratação, aumentando o consumo de sopas e caldos não calóricos.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.