Propriedades, benefícios e contra-indicações da alfarroba

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

alfarrobaA alfarroba é uma vagem de cor castanho-escura que pode medir até trinta centímetros. Existem dois tipos: a branca e a negra. Cada uma delas tem diferentes usos. À branca tem uso culinário e a negra é usada como alternativa ao chocolate e na indústria farmacêutica.

A alfarroba tem origem na região da Palestina e da Síria. Antigamente era usada pelo seu efeito diurético. Actualmente usa-se para tratar a diarreia e para proteger o intestino.

A tradição católica refere que as alfarrobas mantiveram São João vivo quando este se retirou para o deserto, uma vez que era o único alimento disponível. Por este motivo, também é conhecida como “pão de São João”.

Até ao ano de 1800 as alfarrobeiras apenas podiam ser compradas por pessoas com algum estatuto económico porque o seu preço era elevado. Até se dizia que protegia e melhorava a voz das pessoas que se dedicavam ao canto.

Esta leguminosa foi muita utilizada para alimentar animais em épocas de maior pobreza, sendo também consumida pelas pessoas.

 

Informação nutricional

  • Proteínas 10%
  • Hidratos de carbono totais 67%
  • Açúcares naturais 50%
  • Calorias 315.
  • Fibras não solúveis 11,5%
  • Fibra dietética solúvel 0.5%
  • Vitamina B6 2 mg./kg.

É uma boa fonte de vitaminas: A, B2, B3, B6, B9 (ácido fólico), C, D e E. Tem imensos minerais, como por exemplo cálcio, fósforo, ferro, magnésio, potássio, sódio, selénio e zinco. Tem ainda carotenóides e taninos, bem como ácidos gordos polinsaturados, monoinsaturados e saturados.

 

Propriedades da alfarroba

  • Pode ser usada para tratar a diarreia.
  • Ajuda a reduzir os vómitos próprios dos primeiros meses de gravidez.
  • Diminui o apetite, o que a torna muito útil para as pessoas que estão a seguir uma dieta para perder peso.
  • É levemente laxante.
  • É energética já que contém 50% de açúcar natural e 10% de proteínas.
  • Não tem glúten, pelo que pode ser consumida por celíacos.
  • Na indústria alimentar utiliza-se como espessante.
  • Pode ser usada em vez do cacau para fazer chocolate.
  • A alfarroba é rica em fibra, beneficia a flora intestinal aumentando os lactobacilos.
  • Misturada com suco de mirtilos estimula o funcionamento dos rins.
  • É rica em taninos, um potente antioxidante natural.
  • Moendo a alfarroba obtém-se uma farinha que pode ser usada para fazer pão.
  • Fermentando a alfarroba também se obtém uma bebida alcoólica.
  • A alfarroba exerce uma acção favorável contra as inflamações das mucosas, reduzindo a irritação, tanto nas vias respiratórias como digestivas.

 

Precauções e contra-indicações

As pessoas com doenças crónicas e a tomar medicação de forma continuada devem consultar um médico antes de consumirem farinha de alfarroba.

A goma de alfarroba é contra-indicada para quem padece de obstrução intestinal ou estenose esofágica.

Curiosidades

  • A alfarroba deve ser conservada em lugares frescos e secos.
  • É um “alimento natural”.
  • A alfarroba utilizava-se como adoçante e complemento digestivo no Antigo Egipto.
  • É utilizada na indústria alimentar como aditivo no fabrico de todo o tipo de molhos.
  • A palavra quilate é proveniente da palavra grega usada para designar a alfarroba, cujas sementes se utilizavam como peso na antiguidade.

O “chocolate” de alfarroba é uma boa alternativa ao cacau pois tem menos gorduras (apenas 3%) em relação ao cacau que tem 40%. O sabor, esse sim, não é tão doce.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este artigo foi útil?

Então subscreva a nossa newsletter para receber novos artigos comodamente no seu email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os seus dados estão seguros connosco. Veja a nossa Política de Privacidade.