Oito chaves para não voltar a fumar

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

fumar

Janeiro é o mês por excelência para deixar de fumar, conforme dizem as estatísticas, e com os preços dos maços de tabaco actuais deixar de fumar é um objectivo para muitos. Por isso hoje apresentamos oito chaves para deixar de fumar, para bem da sua rica saúde.

Falando em estatísticas, espera-se que muitos tentem este mês deixar de fumar, no entanto e segundo as mesmas estatísticas sabe-se que 80% não irá conseguir. O nosso principal objectivo é aconselhar a ter uma vida saudável e sem fumo, e é por isso que aqui deixamos oito chaves para o ajudar a não voltar a fumar.

  • O seu subconsciente irá convencê-lo a não deixar de fumar, por isso faça uma lista com as razões que o levaram a tentar abandonar o hábito e verá que irá manter a força de vontade. Certamente que não vale a pena ver a lista de outra pessoa nem pedir ajuda a ninguém para fazer a lista consigo porque irá influenciá-lo quando marcar as coisas negativas.
  • A necessidade de substitutos: se é um dos que fumam menos de pacote por dia não irão fazer falta os substitutos para dar a dose/pico diária de nicotina. No caso de a sua boca ser como o tubo de escape de um carro o melhor serão as chicletes e os adesivos de nicotina.
  • Não imponha um mínimo de cigarros: se fixar que poderá apenas fumar três cigarros (o da manhã, o do almoço e um antes de dormir) a batalha estará perdida. Mude os seus hábitos, tome duche antes de tomar o pequeno-almoço, não beba café ao almoço que o incitará a fumar e lave os dentes. À noite certamente que a sua mente e a sua cara-metade podem ajudá-lo a esquecer desse cigarro antes de dormir.
  • Cuidado ao terminar o tratamento antitabágico: uma alta percentagem de recaídas acontece quando acaba o tratamento com os adesivos de nicotina, ou outros medicamentos. Este é o momento de começar a praticar desporto. Irá distrai-lo e sentir-se-há tão bem ao ver que pode correr cada vez mais todos os dias que se irá esquecer do fumo do cigarro.
  • Não existe a fantasia de que você está a controlar: não pense que pode fumar um cigarro uma única vez após uma temporada sem fumar sem que isto tenha efeitos secundários, pois estará a enganar-se a si mesmo. Se acender esse cigarro a probabilidade de uma recaída é de 90 a 95%.
  • Não existem dias especiais para fumar: uma vez alcançado o objectivo de deixar de fumar, tenha na sua mente que não existem dias especiais para acender um cigarro, nem que seja pelo nascimento de um filho, o casamento de um irmão ou mesmo que tenha acertado no Euromilhões. Esse é o cenário ideal com todos os amigos ao seu redor e mais do que um a oferecer-lhe tabaco, mas nunca se esqueça que se encontrar uma desculpa irá novamente cair no vício e tudo aquilo por que arduamente lutou estará perdido.
  • Já passou um ano sem tocar no tabaco. Já não está viciado? A resposta é que ainda está viciado. Existem estudos que garantem que se estiver afastado do tabaco durante 24 meses, se pode considerar a salvo de alguma recaída, mas não pense que após ter passado esse tempo pode fumar esporadicamente, se o fizer pode estar novamente não mãos do tabaco.
  • Se tiver uma recaída nem tudo está perdido: as recaídas são parte do processo de deixar de fumar, o normal é tardar entre cinco e sete anos a abandonar o tabaco, com uma média de três a cinco tentativas sérias para deixar de fumar. Neste processo vai ganhando experiência, se teve uma recaída deixe passar uns meses e aprenda com os seus erros para tentar novamente.

Deixe o seu comentário