O que acontece ao cérebro quando se dorme pouco

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

cérebro

Muitas pessoas não dão grande importância ao número de horas que dormem, e até aproveitam a noite para trabalhar mais ou fazer coisas em casa, o que as leva a dormir muito pouco. Naturalmente que há etapas da vida em que se é obrigado a dormir menos, como por exemplo quando se tem um bebé, mas sempre que tiver a oportunidade ou possibilidade de dormir pelo menos 7 horas (ou 6 horas de sono ininterrupto), deve fazê-lo porque o seu cérebro precisa mesmo desse tempo de descanso para se manter em forma e para evitar outros problemas do foro mental.

Existem consequências quando não dormimos um número mínimo de horas e que afectam directamente o nosso cérebro, e consequentemente a nossa saúde e a nossa forma de entender o mundo que nos rodeia. Se pensa que não há nenhum problema porque costuma dormir pouco, saiba que há mais problemas para além das olheiras, do mau humor ou de ter uma pele menos bonita. O melhor é ler o resto deste artigo para poder compreender importância de começar a dormir mais e melhor.

 

O cérebro encolhe

Existem estudos que demonstraram que as pessoas que dormem menos do que deviam e precisam, têm problemas para conciliar o sono ou para conseguir dormir de forma ininterrupta, podem experimentar uma descida rápida no volume do cérebro. As pessoas que dormem bem e não têm problemas de sono não têm qualquer tipo de problema em relação ao volume do seu cérebro.

 

Cometemos mais erros

As pessoas que dormem menos de seis horas de forma ininterrupta cometem mais erros ou misturam detalhes da vida em relação às pessoas que dormem mais tempo. Neste sentido, se não é capaz de dormir o tempo necessário, será muito provável que venha a ter problemas de memória e de eficácia na sua vida diária ou profissional.

 

Há maiores riscos de se vir a desenvolver a doença de Alzheimer

Dormir o número de horas suficientes pode ajudar a evitar doenças tão problemáticas como a doença de Alzheimer. Há estudos que demonstram que as pessoas que não dormem bem têm mais probabilidades de vir a desenvolver esta doença.

 

Faz falta ao cérebro ter um sono de qualidade

É extremamente importante para a saúde física e mental dormir as horas necessárias, mas também o é para o cérebro. Se quer dormir melhor não deve ficar obcecado com os seus padrões de sono e deve tentar manter uma mentalidade relaxada. Pode dizer a si mesmo que dormir é bom e faz bem à saúde, embora também possa levantar-se e fazer alguma tarefa aborrecida como dobrar a roupa o ler um livro de que não gosta para ganhar sono.

Está agora a compreender a importância para o cérebro de poder dormir bem? O nosso cérebro é a nossa vida, e para cuidar devidamente dele, deve exercitá-lo e permitir que descanse o suficiente todas as noites. Evite os abusos e durma pelo menos 6 horas de forma ininterrupta, ou então a sua saúde irá ressentir-se mais cedo ou mais tarde!

Deixe o seu comentário