Terapias alternativas para combater a depressão

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

depressãoA depressão

pode aparecer em qualquer altura, por vezes sem motivo aparente e também pode ser difícil reconhecer que se está deprimido. Como é uma doença muito complicada de enfrentar, hoje vamos conhecer algumas terapias alternativas para combater a depressão, esta doença dos tempos modernos.

 

O que é a depressão?

É possível que não encontremos as palavras certas para explicar que o que se está a passar, simplesmente perde-se o interesse pelas coisas, está-se triste, não se tem vontade de fazer nada, havendo mesmo ocasiões em que se permanece todo o dia na cama e até a vontade de comer nos abandona. São sintomas de ter uma depressão.

É uma doença frequente que a cada dia que passa afecta mais pessoas, não importando a idade nem o sexo, embora a percentagem de mulheres afectadas pela depressão seja maior que a dos homens.

Esta doença pode começar de forma subtil, chegando a pensar-se que simplesmente se está mais cansado que o habitual ou mais stressado.

Devemos ter claro que a depressão não é uma fraqueza da personalidade e que a pessoa que a padece não escolhe estar deprimida. Também quanto mais cedo se identifique o estado depressivo, mais cedo de poderá iniciar o tratamento mais adequado para lhe colocar um fim.

 

Causas da depressão

São muitas as causas que podem provocar uma depressão. Por vezes são factores psicossociais, genéticos, hormonais ou factores químicos.

Factores psicossociais: a depressão pode aparecer como uma resposta a situações como a perda de um ente querido, um divorcio ou problemas laborais ou que causem um forte stresse.

Factores genéticos: é frequente que se apresentem transtornos depressivos em membros da mesma família. Embora não se fale de uma herança directa, existe uma possibilidade de transmissão, uma predisposição genética.

Factores hormonais: em certos casos de depressão acontece uma má regulação da secreção hormonal das glândulas do hipotálamo, da hipófise e das supra-renais. No caso das mulheres os estrogenios e a progesterona têm um importante papel na aparição da depressão.

Factores químicos: a depressão está associada a certas anormalidades na libertação de alguns neurotransmissores importantes.

 

Classes de depressão

Depressão exógena: na depressão exógena existem alguns factores externos que de uma forma ou de outra nos fazem estar depressivos, mas pode ser causada por factores diversos.

Depressão endógena: este tipo de depressão é devido a algum tipo de processo interno desconhecido. Não existem factores externos que a desencadeiem.

Transtorno bipolar: é uma doença maníaco-depressiva, caracterizada por mudanças cíclicas no estado de animo do enfermo.

Distimia: este tipo de depressão é menos grave, pode-se mesmo confundir com cansaço ou stresse. Em alguns momentos podem aparecer transtornos depressivos graves.

Depressão pós-parto: costuma aparecer uns dias depois do parto, o normal é que desapareça em 10 ou quinze dias, mas em certas ocasiões alonga-se e é necessário pedir ajuda.

Depressão infantil: tal como os adultos, as crianças também podem sofrer de depressão. A tristeza, o desinteresse podem ser sinais de que algo não está bem.

 

Terapias alternativas para tratar a depressão

Fitoterapia, na depressão: são muitas as ervas que nos podem ajudar a melhorar da depressão. Podem ser tomadas em infusão e algumas usadas no banho para ajudar a relaxar.

Florais de Bach para a depressão: as Essências Florais ou Florais de Bach trabalham sobre os estados emocionais e podem ser muito eficazes na luta contra a depressão.

Acupunctura: são obtidos bons resultados combinando a acupunctura com a fitoterapia.

Homeopatia: os remédios homeopáticos podem ajudar em alguns casos de depressão.

 

Estas são algumas das terapias alternativas ou naturais a que se pode recorrer quando se sofre de algum tipo de depressão. Tenha em conta que todos os possíveis tratamentos sempre devem ser supervisionados pelos especialistas correspondentes, eles são os mais indicados para controlar os tratamentos a seguir.

loading...

Deixe o seu comentário