Alimentos proibidos para emagrecer

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Para perder peso é conveniente conhecer os alimentos proibidos para emagrecer. Neste artigo vamos conhecer esses alimentos e porque os devemos evitar.

alimentos proibidos

Alimentos processados

Os primeiros alimentos proibidos para emagrecer são os processados. Estes são sem dúvida os primeiros que devemos riscar da nossa lista de compras, pois para além de estarem carregados de gorduras, açúcar e sal, contém aditivos em excesso (corantes, espessantes, acidulantes, conservantes, aromatizantes, etc.) que o corpo não consegue digerir e que se acumulam na forma de toxinas.

O nosso organismo na sua infinita sabedoria trata de isolar estas toxinas para que não nos prejudiquem. Mas sabe como o faz? Acumulando líquidos e gordura! Por essa razão podemos dizer que um corpo inchado é um corpo intoxicado.

 

Sal refinado

O sal não é mau. O corpo necessita de sais para uma correcta homeostase. O problema, como acontece com outros alimentos modernos, é que o comum sal de mesa não é o sal que encontramos no mar na sua forma natural (rica em minerais). O cloreto de sódio é outro dos alimentos proibidos para emagrecer pois o que irá fazer é contribuir para a retenção de líquidos. O melhor é optar por sal marinho, água do mar ou sal rosa do Himalaia.

 

Álcool

O álcool tem apenas calorias vazias tal como os alimentos refinados. Cada grama de álcool tem 7 Kcal mas nada de vitaminas, minerais ou oligoelementos. O nosso corpo processa essas calorias como se fosse açúcar, ou seja, se não as queima estas transformam-se em gordura. Como vê o álcool é outro dos alimentos proibidos para emagrecer.

 

Alimentos ricos em calorias

Dos 3 macronutrientes que existem: hidratos de carbono, proteínas e gorduras, estas últimas são sem dúvida o mais calórico: 1 grama de gordura tem 9 Kcal enquanto 1 grama de açúcar ou de proteína tem apenas 4 Kcal.

Não obstante, as gorduras são necessárias para o correcto funcionamento do organismo e eliminá-las por completo não faz sentido dentro de uma alimentação equilibrada e saudável.

As gorduras têm um grande poder saciante e também atrasam a entrada da glicose dos alimentos no sangue, pelo que na prática diminuem o índice glicémico.

É então importante escolher muito bem quais as gorduras que vamos incluir na nossa dieta e em que quantidades.

Gorduras a evitar:

  • Leite gordo, queijos gordos, natas e manteiga.
  • Gelados de leite.
  • Bolos.
  • Fritos e refogados com muito azeite.
  • Molhos gordos à base de natas, maionese, etc.
  • Carnes gordas como borrego, porco, bacon, salchichas e hambúrgueres.

Gorduras a incluir:

  • Azeite extra virgem: 2 colheres de sopa por dia.
  • Óleo de coco (com moderação e principalmente para cozinhar).
  • Abacate: meio abacate.
  • Frutos secos oleaginosos (3 nozes ou cajus, o 4 amêndoas ou avelãs).
  • Azeitonas: uma porção seriam 9 azeitonas.

 

Alimentos de elevado índice glicémico

O índice glicémico é a velocidade a que a glicose dos alimentos entra no sangue. Isto é importante porque se a glicose entrar muito rápido e/ou em grandes quantidades, o pâncreas irá reagir segregando muita insulina. Esta hormona encarrega-se de transportar a glicose para o interior das células para ser utilizada como energia. Se não se utilizar esta energia imediatamente, o excedente será armazenado em forma de gordura.

Alimentos proibidos para emagrecer:

  • Açúcar refinado.
  • Pão branco.
  • Arroz branco.
  • Massa branca.
  • Outras farinhas refinadas.
  • Cereais de pequeno-almoço de supermercado.
  • Biscoitos, bolos e pastelaria industrial.
  • Sumos de fruta em garrafa.
  • Bebidas açucaradas.
  • Álcool (o corpo metaboliza-o como se fosse açúcar).

Substituir por:

  • Para adoçar: xarope de agave, concentrado de maçã, mel, açúcar integral de cana ou açúcar de coco (1 ou 2 colheres pequenas).
  • Pão integral (2).
  • Arroz, massa, quinoa, milho painço, amaranto e outros cereais integrais (uma porção seriam 2/3 de uma chávena).
  • Biscoitos e tartes caseiras feitas com farinha integral e os adoçantes anteriormente mencionados.

Imagem Wendell no Flickr

Deixe o seu comentário