Alergia, sensibilidade e intolerância alimentar: quais as diferenças?

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

As análises laboratoriais de intolerância, de alergia e de sensibilidade alimentar são diferentes, têm significados laboratoriais e implicações clínicas distintas que importa conhecer e compreender. Vamos conhecer as diferenças.

Alergia, sensibilidade e intolerância alimentar
Intolerância a alimentos

Define-se como intolerância alimentar a ausência ou deficiência de uma ou mais enzimas digestivas, o que torna difícil ou impossível a digestão de um alimento ou grupo de alimentos. É conhecida como uma incapacidade de fazer uma digestão adequada. É um problema funcional e não imunitário.

A intolerância alimentar mais comum é à lactose. Neste caso verifica-se a ausência de lactase, a enzima responsável pela digestão do açúcar do leite, a lactose. O diagnóstico deste tipo de intolerância é essencialmente clínico e embora exista o teste à intolerância alimentar, também pode ter causas genéticas. A maioria das espécies de mamíferos vai perdendo a capacidade de produzir a enzima lactase depois do desmame. Outras causas podem ser o resultado da sensibilidade ou da alergia provocada pela deterioração do sistema digestivo, o que tem como resultado a diminuição das enzimas digestivas.

 

Alergia alimentar

A alergia alimentar costuma provocar reacções exageradas que se identificam muito bem em apenas alguns minutos ou no máximo duas horas depois de se ter ingerido o alimento. É quase sempre uma alergia permanente a algum tipo de alimento. Ocorre uma reacção quase imediata. É muito comum em crianças, mas não em adultos, e é quase sempre autodiagnosticada. Afecta o tracto digestivo, a pele e nalguns casos as vias respiratórias. Alguns exemplos: uma erupção cutânea, tosse, irritação nasal ou ocular, asma ou edema da laringe. Na alergia alimentar o sistema imunitário produz imunoglobulinas de um tipo designado IgE. A análise em laboratório que procura confirmar o diagnóstico de alergia alimentar a um determinado alimento é exactamente a busca da IgE específica desse alimento. Se for positiva, estamos perante uma alergia a esse alimento.

 

Sensibilidade alimentar

A sensibilidade alimentar provoca, normalmente, reacções entre duas a setenta e das horas, até mesmo vários dias após se ter ingerido o alimento. Ou seja, é quase uma alergia retardada.

As reacções clínicas não são exageradas e é raramente diagnosticada. A sensibilidade alimentar inclui alimentos que são frequentemente consumidos, inclusive alguns alimentos viciantes. Quase qualquer sistema, órgão, ou tecido do corpo humano pode ser afectado, ao contrário das alergias em que é sempre localizado. Exemplos: síndrome do cólon irritável e aumento de manifestações inflamatórias de várias doenças crónicas.

loading...

Um comentário

  1. Jacinto Bernardino

Deixe o seu comentário


SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...