Álcool: Mitos e Realidade

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

alcool

Todos sabemos que o consumo de álcool sem controlo pode conduzir a problemas de saúde. No entanto, não deixa de ser uma substancia cujo consumo é socialmente em contextos festivos e de celebração, estando associada aos bons momentos.

A realidade é que para além disso, existem alguns mitos que rodeiam o consumo de álcool, algumas das quais nem se sabe muito bem como terão surgido, mas mesmo assim instalaram-se entre nós e são levados à letra, embora estejam bem longe da realidade. Sabe quais são esses mitos?

 

Mitos e realidades em torno do consumo de álcool

 

Mito: Beber álcool apenas ao fim de semana não provoca danos no organismo.

Realidade: Os danos provocados pelo álcool dependem do chamado “padrão de consumo”, ou seja, da quantidade (mais quantidade, mais danos) e da intensidade (a mesma quantidade concentrada em menos tempo faz mais mal). Também existe o risco de se tornar um hábito, ao ponto de a pessoa não se conseguir divertir sem beber.

 

Mito: O consumo de álcool ajuda a levantar o estado de espirito, a superar o cansaço e a estar mais animado e em forma.

Realidade: O consumo abusivo de álcool faz perder o controlo sobre as emoções e sentimentos. Após uma breve sensação de bem-estar, se andar triste ou deprimido, esta situação pode agudizar-se. Igualmente conduz a uma maior fadiga física e provoca mais sono; também se perde força e coordenação.

 

Mito: O consumo de álcool dá calor e combate o frio.

Realidade: O álcool produz uma sensação momentânea de calor ao dilatar os vasos sanguíneos e dirigir o sangue para a superfície da pele, mas em pouco tempo a temperatura interior do corpo diminui e sente-se mais frio. Por isso, em situações de embriaguez é deve-se a abrigar pessoa e deixá-la num local quente, e nunca tentar sujeitá-la a duches frios.

 

Mito: O álcool é um alimento.

Realidade: O álcool engorda mas não alimenta. Pelo contrário, aumenta a produção de gordura no organismo.

 

Mito: O álcool é bom para o coração.

Realidade: Diversos estudos dizem que nos adultos, o consumo moderado de álcool diminui o risco de vir a sofrer doenças relacionadas com o coração, mas estes efeitos benéficos não surgem em todas as pessoas nem em todos os casos.

 

Mito: O álcool facilita as relações sexuais.

Realidade: Ao contrário, o consumo abusivo muitas vezes dificulta ou mesmo impede uma relação sexual plena, provocando impotência e outras disfunções associadas.

 

Mito: Quem aguenta melhor o consumo de álcool é mais forte.

Realidade: Não existe relação alguma entre força ou virilidade e “aguentar” um maior consumo de álcool. Se se aguenta muito álcool pode ser que o organismo apenas se tenha acostumado ao seu consumo. Desenvolveu tolerância ao álcool e isso não significa que faça menos danos, havendo mesmo maiores riscos de se tornar dependente, e consequentemente, em alcoólico.

 

Com o álcool, como em tantas outras coisas, não se trata de ser radical e erradicar definitivamente o álcool da vida, pois tudo tem que ter um peso e uma medida, mas devemos estar conscientes de quais são as consequências do excesso e estar devidamente informados para evitar problemas de saúde no futuro. Em resumo, deve-se fazer um consumo responsável, como sempre dizem os anúncios de bebidas alcoólicas.

Deixe o seu comentário